sábado, 20 de setembro de 2014

Rio na primavera de 1969

A Primavera está chegando...

...e a entrada da primavera de 69, há 45 anos, no Rio, trazia para as telonas clássicos que se tornaram grandes sucessos do cinema.

  • No cinema Roxy, Sweet Charity, de Bob Fosse, com Shirley MacLane, Sammy Davis Jr, Ricardo Montalban;




O cine ROXY, que atualmente está dividido em 3 salas, em Copacabana,
na esquina da avenida N S de Copacabana e Rua Bolívar.

  • Nos extintos Capri e Comodoro, Bullitt, com Steve McQueen, Jaqueline Bisset.


 
Acima, o antigo cinema Capri, depois cine Coper, na Rua Voluntários da Pátria, em Botafogo

O Cine Comodoro  funcionou da Rua Haddock Lobo, na Tijuca, de 1967 até 1988.

  • No antigo cine Veneza, Cerimônia Secreta , com Elizabeth Taylor, Mia Farrow, Robert Mitchum.


 O antigo cine Veneza, na avenida Pasteur, hoje uma casa de shows.

Uma curiosidade:  20 de setembro de 1969 também foi um sábado.

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

O Copa dos ex-reis e presidentes...

O Copacabana Palace, o mais carioca dos hotéis e símbolo da cidade foi tema preferido das colunas sociais de Ibrahim Sued.



E foi em uma delas , a do dia 17 de setembro de 1969, há exatos 45 anos, que ele nos fala desse belo cantinho carioca, passeando por histórias e personagens, terminando com sua maravilhosa irreverência.

De leve!




terça-feira, 9 de setembro de 2014

Com ou sem molho?

Com salsicha ou linguiça? 

Não importa se a escolha é pelo tradicional (apenas com pão e salsicha) ou pelo completão (com ketchup, mostarda, maionese, milho, queijo ralado e o que mais tiver).  

Há 130 anos, o cachorro-quente conquista os corações — e os paladares — de muita gente pelo mundo. 

A história conta que, no dia 9 de setembro de 1884, o sanduíche foi inventado na Alemanha, passou pelos Estados Unidos e chegou ao Rio, em 1926,
quando o empresário Francisco Serrador lançou o cachorro-quente em seus cinemas no Rio de Janeiro.


A novidade até inspirou Lamartine Babo e Ary Barroso, a criarem em 1928, a marchinha “Cachorro-quente”.

Comer
Cachorro quente lá no bar
Por certo a moda vai pegar
Por não ser vulgar...
Comer
Vai toda a gente ao "quarteirão"
Pois há lingüiça em profusão
Pra comer com pão...
Que bom lamber...
Trincar... Comer...
Um cachorrinho tentador
No "Quarteirão do Serrador"
Comer
É bem melhor do que beber,
Pois dá sustância e faz crescer
Todo e qualquer ser...
Comer
É verbo bom de conjugar
Quando queremos conquistar
Um "pirão" no bar...

 
Em 1945, a iguaria de popularizou.

Ah...bons tempos do cachorro quente das Lojas Americanas... o cachorro quente da Mesbla... o cachorro quente das carrocinhas da Geneal nas praias...

 Hoje, aqui no Rio, há 765 barraquinhas legalizadas que vendem sanduíches com preços que vão de R$ 3 a R$ 8.
Apesar da idade avançada, o cachorro quente foi se modernizando e ganhando novos ingredientes: o cachorro especial para vegetarianos, talvez com abacaxi no lugar da salsicha; com  linguiça de pernil  e por aí vai. 

OUTRA VERSÃO:
Em 1904, nos Estados Unidos, um vendedor de salsichas quentes oferecia luvas de algodão para os clientes não queimarem as mãos (só que eles se esqueciam de devolvê-las). Seu cunhado, que era padeiro,então sugeriu que o salsicheiro começasse a usar pão.

UMA OU OUTRA HISTÓRIA, NA VERDADE É QUE SURGIU UMA DELICIOSA IGUARIA.